OKFestival – Segundo dia

0

Hoje o dia comecou com uma plenaria com discussoes muitos gerais tratando em parte de assuntos que tem a ver com o Desenvolvimento e com a participacao de instituicoes como IBM e fez-se uma abordagem “publicitaria” das sessoes do dia. No total assisti a 5 sessoes diferentes.

A seguir fiquei na sessao OPEN DEVELOPMENT IS FREEDOM SONG:Power, people and Social Change. Foi bom encontrar o P. Thigo do Quenia, que tem trabalhado com o CIUEM em Maputo no ambito duma outra iniciativa. Esteve um representante do governo finlandes e falou-se muito da transparencia e abertura (principalmente), da contextualizacao dos projectos (desenvolve-los de acordo com as necessidades das comunidades e com possibilidade de mudar no meio da implementacao a medida que as necessidades tambem alteram) evitando o actual modelo em que apos aprovacao do projecto por exemplo tem que se seguir os objectivos iniciais etc e prestar contas de acordo com o que foi aprovado.

Na sessao OPEN RESEARCH AND EDUCATION: Open Access in Practice – How?

Foi possivel perceber os problemas actuais relativamente aos direitos autorais e custos…o cientista paga para fazer pesquisa, paga para puder publicar o resultado do seu estudo e volta a pagar para ter acesso o resultado de pesquisas publicadas em revistas/jornais especializados. Que solucoes e implicacoes relativamente a publicacoes livres/individuais em websites, blogues etc ? Quais as implicacoes a disponibilizacao de conteudos de forma livre? Fez-se algumas demonstracoes como Malaria BibSoup – http://malaria.bibsoup.net/ com diversos recursos que podem ser uteis mesmo para nos em Mocambique, tambem recursos como http://www.sanger.ac.uk e http://rossmounce.co.uk/para especialista de areas relacionadas com a saude.

Na sessao OPEN SOURCE SOFTWARE: Open IT-Future of Mobile
Fiquei a saber (atraves das 3 apresentacoes feitas) das tendencias actuais do ecossistema (hardware, software e produtores de aparelhos) onde sistemas operativos como Android aparecem como FOSS mas pertecendo a Google com algumas lmiticoes, o “casamento” NOKIA/MICROSOFT por causa do Windows Phone 8. Soube tambem da empresa JOLLA(constituida por ex-funcionarios da Nokia) que produziram um sistema operativo e que esperam lancar brevemente um Smartphone este ano. Por fim a entrada do HTML5 para o mercado do ecossistema dos software & hardware.

A ultima sessao foi novamente na area de OPEN DEVELOPMENT com o titulo “Taking it Local: 10 ways to Make Open Relevant in Low Resources or Marginalized Contexts” e ouviu-se experiencias de iniciativas ICT4D em paises como Camboda, Uganda, Quenia e tambem na Asia e America Latina. O problema dos conteudos locais em linguas locais e relevantes para as comunidades, o uso de tecnlogias apropriadas para publicos com baixa literacia, priorizacao do uso das Radios Comunitarias e aplicacoes em telemoveis e a transparencia das organizacoes que trabalham nesta area publicando abertamente os seus relatorios financeiros e de actividades. Fez parte do painel tambem o Michael Gurstein e houve interassao como os presentes. Acabei encontrando nesta sessao o Mika Välitalo da Plan Finland e que me alertou sobre o OKFestival durante o encontro havido comigo e com a Maria Lima da VTT na semana passada.

 

Partilhar em:

Leave A Reply


*